sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Origens algarvias de Camões



Manuel Severim de Faria afirma que Antão Vaz de Camões, filho de João Vaz de Camões e de Inês Gomes da Silva, casou com Guiomar Vaz da Gama (descendente directo dos Gamas do Algarve, originários do Alentejo) que teve um filho chamado Simão Vaz de Camões, que casando com Ana de Macedo tiveram Luís Vaz de Camões, o poeta nacional e mentor da cultura lusíada.
Também li sobre Camões um artigo de Julião Quintinha intitulado “Camões no Algarve”, publicado no «Correio do Sul» de 27-8-1922. A fonte do artigo era o escritor anti-semita Mário Saa que lhe terá confidenciado que Camões tinha no Algarve um tio chamado Pero Vaz de Camões, na casa do qual aliás se refugiara quando em 1546 fugiu de Lisboa por causa dos amores com sua prima Isabel Tavares. O alcaide-mor de Silves e o alcaide-mor de Lagos eram seus parentes, presumindo-se que ele esteve refugiado no morgado de Boina, que era de um outro seu parente próximo, irmão do poeta Jorge da Silva ali refugiado também por essa altura, por via dos seus amores com uma infanta da Corte. O poeta partiu de Lisboa para o Algarve pouco antes de seguir para a Índia. Parece que o tio, Pero Vaz de Camões, tinha sangue judeu, sendo talvez as origens de cristão-novo a causa das perseguições movidas pela Inquisição de Goa contra o poeta dos Lusíadas.

5 comentários:

  1. Não se esqueça que em Goa estava o padre jesuita Francisco xavier, ferveroso adepto da inquisição e um verdadeiro "mass murder" . Talvez por isso que Camões andou fugido desse demónio !

    ResponderEliminar
  2. Creio que hoje não oferecem dúvidas as origens judaicas de Camões. Sendo um cristão-novo e com todos os ódios que o seu don juanismo acarretava naquele tempo, é fácil compreender que se tornava um alvo fácil da sanha inquisitorial.
    Tanto o livro de José Hermano Saraiva sobre Camões, como os ensaios de Vasco Graça Moura comprovam o sangue de cristão-novo no autor dos Lusíadas.
    Volte sempre, mas se não for inconveniente deixe-nos o seu nome.
    Vilhena Mesquita

    ResponderEliminar
  3. Esqueci-me de deixar o nome : Vitor Xelim

    Eu sou um visitante dos seus blogs, ao fim de semana de de vez em quando durante a semana, agora que os tenho gravados nos favoritos nos pc´s ( trabalho e casa)e sempre que o tempo me permite.
    É com muito agrado que venho beber um pouco de cultura e historia das minhas gentes e sitios nos seus blogues.
    Você é uma trabalhador do camandro! As informações que recolhe e põe à nossa disposição é uma brisa de ar fresco e puro que nos liberta da porcaria dos mass media que nos embrutessem cada dia que passa !

    Um homem sem história é um homem sem rumo e é isso que os donos do mundo querem.
    Querem retirar-nos essa orientação para nos tratarem como se lixo fossem-mos.

    Espero que não lhe falte forças e vitalidade para prosseguir este trabalho e continuar a presentear-nos com os seus trabalhos!

    Voltando ao São Francisco Xavier : Ele foi o primeiro Jesuita a pisar o solo Indiano e ofereceu aos seus habitantes o mais horrivel holocaustro da história da humanidade partir de GOA. Hoje o Santo Xavier é um simbolo na Igreja Católica pela sua grande missão !

    Em baixo recortei algumas passagens de textos sobre esse bárbaro assasino de massas, tão venerado pelos católicos !


    Seen as a threat to the immaculateness of the Christian belief, Saint Francis Xavier, in a 1545 letter to John III of Portugal, requested an Inquisition set up for purification of the faith in Goa.

    The archbishop of Evora, in Portugal, eventually wrote, "If everywhere the Inquisition was an infamous court, the infamy, however base, however vile, however corrupt and determined by worldly interests, it was never more so than in Goa. [31]

    Xavier called for an inquisition, recorded by historians as being more horrendous and barbaric than any prior to that. Thousands were tortured mutilated and killed. Thousands had to flee Goa in order to keep their traditional culture and religion.



    It is recorded that between 600 and 1,000 Hindu temples and shrines were destroyed, but many consider these numbers to be on the conservative side. [

    ResponderEliminar
  4. Segundo a obra “Subsídios para a Biografia de Camões”, ed. em1936, de J. Pinto Loureiro, o tio paterno do poeta Luís de Camões, Pedro Vaz de Camões era escudeiro no Algarve em 1530, estando ao serviço do conde de Monsanto.
    Uma genealogia manuscrita da Biblioteca da Ajuda, fala de um Pedro de Camões casado com Mécia Perestrelo, pais de uma Isabel de Camões, casada com um Rui Dias de Sampaio (que outros dizem chamar-se Diogo de Sampaio), natural de Lagos.
    Este casal foi pai de Mem Rodrigues de Sampaio “natural do Algarve”, que foi à Mina em 1534 como capitão do galeão S. Salvador e casou na ilha Terceira com Beatriz Homem da Costa, com geração nos Açores http://www.geneall.net/P/per_page.php?id=197411
    Fica dito o que sei sobre os Camões de Lagos, certamente parentes muito próximo do nosso poeta!

    ResponderEliminar
  5. Segundo a obra “Subsídios para a Biografia de Camões”, ed. em1936, de J. Pinto Loureiro, o tio paterno do poeta Luís de Camões, Pedro Vaz de Camões era escudeiro no Algarve em 1530, estando ao serviço do conde de Monsanto.
    Uma genealogia manuscrita da Biblioteca da Ajuda, fala de um Pedro de Camões casado com Mécia Perestrelo, pais de uma Isabel de Camões, casada com um Rui Dias de Sampaio (que outros dizem chamar-se Diogo de Sampaio), natural de Lagos.
    Este casal foi pai de Mem Rodrigues de Sampaio “natural do Algarve”, que foi à Mina em 1534 como capitão do galeão S. Salvador e casou na ilha Terceira com Beatriz Homem da Costa, com geração nos Açores http://www.geneall.net/P/per_page.php?id=197411
    Fica dito o que sei sobre os Camões de Lagos, certamente parentes muito próximo do nosso poeta!

    ResponderEliminar