terça-feira, 14 de julho de 2009

Hotel Aliança, futuro Hotel Faro


Abriu ao público, a 1 de Março de 1946, o Hotel Aliança, construído por José Pedro da Silva, um empresário a quem o turismo algarvio e a cidade de Faro muito devem.
O edifício estava concluído desde há alguns anos atrás, mas razões que desconhecemos protelaram a sua inauguração e abertura ao público.
A cidade de Faro, passou assim a dispor de um novo e moderno equipamento hoteleiro para fazer face às solicitações dos visitantes estrangeiros, que enfastiados com as deficientes condições de alojamento que lhes eram propostas demandavam o barlavento, nomeadamente a Praia da Rocha, quando não partiam imediatamente para Espanha.
O Hotel Aliança, que mais tarde se viria a designar por Hotel Faro, dispunha de 36 quartos, com luz eléctrica, casas de banho privativa, águas quentes e frias, mobilados com requinte e comodidade. A gerência do mesmo foi entregue ao Sr. Domingos dos Santos Gomes, um técnico bastante experimentado em hotelaria.
No acto da inauguração foi servido um “Porto de Honra” aos convidados e ás autoridades sediadas na cidade, tendo como ponto alto um espectáculo apresentado pela Tuna Académica de Coimbra, especialmente convidada para o efeito.
O autor do projecto de construção do edifício do Hotel Aliança foi da autoria do Eng.º Sena Lino, sendo adjudicada a construção do mesmo à empresa Soromenho & Rosa.
O acto público de inauguração do edifício foi presidido pelo Governador Civil, Dr. Antero Cabral, que num brilhante discurso frisou que a partir daquele momento já se podia falar em Turismo na cidade de Faro, facto que em larga medida se ficava devendo ao investimento do farense José Pedro da Silva, proprietário do café Aliança e da mercearia do mesmo nome num conjunto de edifícios que ainda hoje existe, com ligeiras alterações arquitectónicas, nomeadamente no próprio hotel, de duvidoso gosto artístico.

J.C.V.M.

5 comentários:

  1. Só para lembrar que o edificio era considerado patrimonio da cidade.
    Então, porque o demoliram???

    ResponderEliminar
  2. Razões de ordem económico-financeira foram mais fortes do que o interesse cultural e turístico do edifício.
    Um abraço do Vilhena Mesquita

    ResponderEliminar
  3. Bom dia Prof. Mesquita!
    O artigo está muito bom!!!
    Obrigado pela sua dedicação e ajuda nesta investigação científica sobre o Hotel Faro!
    Com os melhores cumprimentos me despeço,

    Ana Madeira
    Aluna de História Económica e Empresarial
    UALG

    ResponderEliminar
  4. Boa tarde,
    Estou neste momento a realizar a minha tese de Mestrado no ISCTE-IUL e preciso muito da sua ajuda para responder a um questionário sobre as tecnologias nos hotéis de 4 e 5 estrelas em Portugal. As respostas são anónimas e confidenciais.
    Para responder clique no link em baixo sff:
    https://qtrial2014.az1.qualtrics.com/SE/?SID=SV_ehd1NagrrnrWk6N
    Muito obrigada.

    ResponderEliminar
  5. José Carlos, o edifício da foto não é de 46. Foi um acrescento ao hotel feito creio já no início dos anos 50. Abraço e obrigado pelo excelente trabalho

    ResponderEliminar